30 de ago de 2013

"Inferno", Dan Brown | resenha.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Confesso que quando fiquei sabendo que Dan Brown tinha escrito um novo livro, fiquei
obcecada. Infelizmente não comprei o livro no dia do lançamento, mas valeu a pena esperar. Imaginava um novo escândalo envolvendo maçons, illuminattis ou qualquer outra seita/sociedade secreta, ainda mais com este nome, que convenhamos, não é muito peculiar ou agradável.

O Inferno de Dan
Para começar, o livro já tem um título impactante, que prende e instiga a imaginação do leitor. O livro tem como temática um outro inferno: o de Dante Alighieri, mais conhecido  por seu livro “A Divina Comédia”, aonde ele narra sua trajetória desde o mundo Inferior até o Superior, passando por três fases: Inferno, Purgatório, Paraíso. O poema é dividido em cantos, composto por tercetos que remetem a Divina Trindade.
Voltando ao Inferno de Dan Brown, o livro trás novamente o personagem Robert Langdon, famoso professor de História da Simbologia de Harvard, só que desta vez, despido de toda a antiga formalidade dos livros anteriores. Como já disse antes, imaginava que este livro iria focar na Igreja novamente, porém, tirando as basílicas, igrejas, e o próprio Dante, desta vez não há conspiração, nem sociedades secretas. Apenas um professor com amnésia e um cientista maluco querendo exterminar a raça-humana.
Apesar de tudo, o livro tem o incrível dom de nos prender. Dan Brown parece que se libertou de suas formalidades, e abordou assuntos polêmicos que nos faz parar pra pensar na existência humana, porém ainda continua com o seu estilo enigmático que, na minha modesta opinião, ficou bem pior (no bom sentido) neste último romance.

27 de ago de 2013

É claro, uma apresentação. Um começo. Onde estão meus bons modos?

 Após um longo período de esquecimento, resolvi voltar à postar.


Reli todas as postagens, e fiquei pensando em qual poderia ser o post da minha “volta triunfal”, mas não conseguia pensar em nada além do inferno.